18 de setembro de 2009

Resolução da Assembléia Geral da UIAA

De 4 de outubro de 1997 em Kransjska Gora - Slovenia

Objetivos e Diretivas Ambientais da UIAA

1. A declaração dessa política provê as linhas gerais para as principais questões ambientais ligadas ao montanhismo. A declaração considera que o termo "montanhismo" inclui as seguintes atividades: escalada, caminhada e ski touring.

2. A declaração considera tanto os efeitos do montanhismo sobre o ambiente como também o papel que os montanhistas tem para manter um futuro sustentável para o ambiente de montanha.

3. Estes objetivos e diretivas fornece a base para as federações membros da UIAA seguirem apoiando o crescimento das atividades de montanha. Eles ajudarão as federações membro a garantir que as atividades de montanha são sensíveis às necessidades e questões ambientais e irão dispensar esforços para proteger regiões de falésia e montanha de impactos ambientais adversos, seja qual for a sua origem.
Essa declaração é baseada na "International Guidance on Conservation and Sports Activity" e declarações de políticas e relatórios da UIAA. Todos estes estão listados no Anexo.

Valores

1. O ponto central ao trabalho da UIAA é acreditar que a liberdade de praticar o montanhismo, seja nos picos remotos ou nas falésias à beira mar, é de grande valor à diversos cidadãos do mundo. A liberdade de escalar é parte da grande necessidade das pessoas de ter acesso à terra ou água para apreciação da natureza e da paisagem, como reconhecido pelo World Conservation Congress em 1996. Isto também engloba a necessidade pela aventura, pelo exercício físico e mental e as dimensões sociais dos esportes de montanha. Promover o conhecimento (e o auto conhecimento) destes valores por toda comunidade é um importante ponto inicial para alcançar os objetivos ambientais maiores da UIAA.

2. A UIAA reconhece o enorme valor das áreas de montanha: como reservas da biodiversidade, como lugares de grande interesse espiritual e histórico, como lugares de fenômenos naturais espetaculares associados ao clima e à geologia, e como o lugar dos mais bonitos cenários e cheios de paz. A referência à ambientes de montanha diz respeito desde locais remotos, selvagens e naturais até locais de habitação humana, freqüentemente com grande alterações do cenário e com grande valor cultural. A UIAA reconhece que essas áreas frequentemente contém ecossistemas frágeis e facilmente danificáveis, bem como estilos de vida locais que são sensíveis à intrusão externa.

3. A UIAA também reconhece que as montanhas são frequentemente a fonte para produtos essenciais à humanidade como um todo. Destes, os suprimentos de água pura em córregos e rios que descem de áreas de montanha são de suprema importância. De forma similar, a UIAA reconhece o uso de áreas de montanha como fontes de produtos agrícolas e dos bosques e florestas, de minerais e de reservas de energia. Entretanto, a UIAA enfatiza a necessidade de se extrair esses produtos de forma não comprometer a qualidade ambiental das áreas de montanha.

4. A UIAA reconhece o papel do "turismo de montanha" como forma de apoio às economias locais, incluindo a produção de artigos comercializados localmente, e reconhece a necessidade de manter as habilidades e conhecimentos locais de manejo do terreno. A UIAA está também preocupada em garantir que a atividade de montanhistas ajude a manter as comunidades locais, e que isso também traga benefícios habitantes das montanhas como um todo, de forma que isto é plenamente aceitável pela comunidade de montanhistas.

Impactos

A UIAA acredita que montanhistas, bem como muitas outras pessoas e organizações, devem ser bastante conscientes e preocupados a respeito do futuro do ambiente de montanha. Os seguintes tipos de impacto agridem a integridade de ecossistemas e comunidades da montanha, e ameaçam o impedir que se desfrute e que se pratique o montanhismo.

1. A perda da biodiversidade devido à destruição das florestas, exagero na roçagem e aragem e incêndios. Estes impactos podem ter profundos efeitos sobre a cobertura de vegetação natural do solo, a riqueza de espécies animais e a perda do solo e vegetação devido à erosão. O caráter selvagem não degradado das áreas de montanha está diminuindo.

2. Alterações maciças e agressivas da paisagem natural. Trabalhos de mineração de grande escala, esquemas para grandes reservatórios de água e hidrelétricas estradas, ferrovias, torres e estruturas para telecomunicações, instalações e edificações de estações de esqui, e especialmente as alterações destinadas ao desenvolvimento do turismo e da indústria são pontos que particularmente causam grandes preocupações.

3. Alterações climáticas, poluição através da contaminação do ar ou água e ruídos intrusos provenientes de veículos motorizados e aviões. Virtualmente, não há no mundo nenhuma área de montanha onde os sinais da poluição estão ausentes, e todo o globo está sendo afetado por mudanças climáticas. Montanhistas devem refletir sobre como suas atividades estão colaborando com os problemas de poluição, e como, considerando a sociedade como um todo, os montanhistas podem contribuir para fazer da terra um lugar menos poluído.

4. abuso no uso de locais frágeis e sensíveis. Um número excessivo de visitantes, incluindo entre eles os montanhistas, está levando à degradação de alguns ambientes de montanha, através do uso demasiado de áreas frágeis e sensíveis ou até mesmo por falta de uma conduta adequada como montanhista. Estes danos estão ocorrendo em áreas relativamente pequenas de diversas regiões de montanha, e são menos significantes do que alguns dos problemas listados acima. Este abuso, entretanto, parecem estar sendo bastante significantes em alguns dos locais de escalada mais famosos do mundo, como os campos base das mais altas montanhas, das trilhas mais frequentadas por montanhistas e trekkers, ou em falésias e paredes amadas pelos escaladores, observadores de pássaros e biólogos. É essencial que as organizações de trekking, expedições de montanha e escaladores tenham consciência disso, e passem a adotar melhores técnicas e conduta.

Integração

A UIAA acredita que montanhistas tem um grande potencial para assumir suas responsabilidades ambientais, bem como condições de proteger as terras de montanha e suas comunidades através de um processo de integração com outras entidades e setores da sociedade. Estes são os requisitos básicos que cada montanhista deve considerar como indivíduo e como membro da comunidade de montanhistas:

• Persuadir os responsáveis por tomada de decisões que as montanhas e o povo das montanhas são importantes e que o montanhismo é uma atividade que merece apoio.

• Difundir que o conceito de liberdade de acesso, exercido com responsabilidade, é uma elemento inerente ao montanhismo, frequentemente associado à extenuantes esforços físicos e mentais, risco e aventura, e uma relativa ausência de regras e regulamentações.

• Ter consciência que viajar por lugares lindos é um elemento essencial na maioria das experiências de montanha, e assim, os montanhistas devem se esforçar para manter estes lugares bonitos.

• Desenvolver técnicas de escalada e montanhismo que tenham mínimo impacto no ambiente, incluindo acertos de viagem e transporte que minimizem a poluição e a queima de combustíveis fósseis, bem como o uso de material reciclado.

• Apoiar ações e esforços que protejam áreas de montanha e melhorem o bem estar e a prosperidade de comunidades locais, assumindo que estas ações estejam de acordo com os interesses dos montanhistas através de consulta e negociação anteriores. Por exemplo:

-- Apoiando a criação de áreas de proteção, como parques nacionais e reservas, para salvaguardar espécies selvagens e paisagens especiais. Deve-se considerar também que essas áreas sejam também gerenciadas e manejadas de maneira eficiente e estejam bem integradas com as necessidades das comunidades locais e esteja considerando as necessidades dos montanhistas.

-- Apoiando, onde necessário, a regulamentação, desde que esta seja aceitável aos montanhistas e capaz de ser aplicado de forma equalitária a todos, e que preferencialmente seja feito através de acordos e arranjos entre pessoas voluntárias.

-- Apoiando medidas justas e equalitárias que ajudem os montanhistas a contribuir diretamente à prosperidade econômica e bem estar ambiental das comunidades locais. Ajuda deve ser dada à incorporação de educação ambiental em programas para instrutores e guias de montanhismo.

• Promover a iteração entre federações de montanhismo, organizações representantes da sociedade e cidadãos, governo, organizações internacionais no que tange políticas sobre o uso da terra, energia e transporte que afetem áreas de montanha.

• Desenvolver parcerias entre organizações ligadas ao montanhismo e outras organizações com interesse em defender e preservar o ambiente de montanha, mas que também defendam a liberdade de acesso.
Estes requisitos básicos definem o escopo principal da política ambiental da UIAA, e fornece a base para as federações integrantes da UIAA promoverem atividades de montanhismo que considerem as principais questões ambientais.

Anexo aos Objetivos e Diretivas

Diretrizes internacionais:

1. Resolution on public access to land and water, supported by the UIAA and passed by the World Conservation Congress of the World Conservation Union (IUCN), Montreal, Canada, 1996.

2. Declaration on Sports and Environment issued by the International Olympic Committee, 1996.

Declarações de política e relatórios aprovados por assembléias gerais da UIAA

- Kathmandu Declaration (1982)
- Matsumoto Mountain Protection Report (1992)
- Target programme to reduce trash (1992)
- Resolution on touristic flights in mountain areas (1994)
- Guidelines for ski alpinism competitions (1994)
- Policy on competition climbing (1995)
- Minutes of Cape Town Conference on "Access and Conservation Policy" (1995)
- UIAA Expeditions Code of Ethics (1987)

Tradução de Mauricio Clauzet

Nenhum comentário: