16 de abril de 2007

ACM realiza mais uma atividade com Bombeiros

Proposta de remoção escolhida após análise realizada na sede da ACM pelos presentes porém não esgotando outras alternativas: intervenção descendo a encosta, de rapel, já levando maca rígida, tipo mamute. Suspender a vitima através de sistema 3 : 1, com esforço reduzido através de sistema de contrapeso por corda secundária e também aliviado pelo fato do acompanhante da vítima ir subindo, com jumares e estribos, em corda auxiliar, deixando somente a vítima, maca, amarrações e mosquetões suspensos pelo 3 : 1 e com auxílio do contrapeso.Disparado o cronômetro, comecei a distribuir tarefas e equipamentos, o Thomas subiu levando as cordas do contrapeso (20 e 30 m), mosquetões (8 de aço, oval), fitas (4 de 120cm), maca e equipamento pessoal e o Bombeiro Sd Flaviano Azevedo dos Santos o seguiu levando a corda para içamento (100m), polias (4), cordeletes (2), mosquetões (8 de aço, oval). Cerca de 10 minutos. A montagem das ancoragens, num total de 4, sendo: a corda fixa para o homem do contrapeso rapelar e a corda de contrapeso, que estará fixada a ancoragem da maca, passando pela ancoragem no topo e descendo fixa à cadeira do contrapeso. A corda fixa para o acompanhante da vítima ascender com a vítima e a corda de içamento da maca com a vítima. Cerca de 25 a 30 minutos. O Thomas desceu a maca até a base através de uma das cordas e em seguida rapelou simulando a chegada na vítima e supervisionou a equipe de terra fixar a vítima, Camila, na maca e também prepararmos a amarração da maca na corda de içamento com auxílio do Sgto.Pedot. Dois pedaços de corda de aproximadamente 4 metros cada, amarrados pela ponta com fiel e arrematados com meio pescador, nas quatro extremidades da maca, formando um retângulo de forças. Um nó oito no seio de cada pedaço de corda e dois mosquetões de aço, travas invertidas, sustentando maca e vítima A maca de tubos de aço, soldada, parecia resistente e com sobra, mesmo assim a Camila estava encadeirada e fixada também nos mosquetões que uniam a maca à corda de içamento. Cerca de 10 minutos. Neste meio tempo o Thomas subiu pelas escadas e preparou-se para descer no contrapeso. Ainda não tínhamos fixado a corda para o acompanhante subir ao lado da vítima. Cerca de 5 minutos, contando com instrução rápida de como ascender pela corda usando gri-gri, jumar e estribos. O contrapeso começou a descer, o acompanhante da vítima, o Bombeiro Vanderlei Melo de Sousa, estava flutuando a postos e a maca começou a subir quando o 3 : 1 entrou em ação, neste momento haviam dois e por vezes 3 bombeiros em cima, o Flaviano, controlando o sistema, o Sgto. Cristiano, controlando o cordelete de bloqueio do 3 : 1, fixado com nó mariner na ancoragem e o Ten. Matos, na assessoria. Em menos de 15 minutos a vítima estava no topo do "paredão" e a "salvo".

Nenhum comentário: